O BARBAS – CATEDRAL

Partilha!

O (bom) peixe não tem Clube!

 

Nota prévia: vou escrever este review inteiro sem fazer qualquer reparo clubístico, o que seria muito fácil tendo em conta o restaurante sobre o qual vamos falar. E assim não melindro ninguém! 😉

Há restaurantes que são verdadeiros clássicos, em Lisboa e não só. São os restaurantes mais antigos, com mais história, e nem sempre os que aparecem mais vezes referenciados nos guias turísticos. Mas mesmo que sejam espaços mais turísticos, estes restaurantes são clássicos para nós também, os “locais”. Porque são sítios onde voltamos frequentemente porque somos bem tratados. Ou porque comemos bem, como preferirem.

O Barbas, mesmo na linha da frente da praia na Costa da Caparica, é um desses restaurantes.

Entrar no Barbas (o principal, o Catedral, mas que vou simplificar e chamar apenas Barbas) num Domingo à hora de almoço é a certeza de uma coisa: vamos ter de esperar por mesa. Completamente cheio, gente à porta à espera que chegue a sua vez. Este é um cenário comum tanto em época alta como e quase todo o ano, pelo menos aos fins-de-semana. É um local de “peregrinação” para todo o tipo de pessoas, que basicamente vão à procura de peixe e marisco, as especialidades do espaço, juntamente com as caldeiradas e cataplanas.

Este é daqueles restaurantes onde vamos pelo menos uma vez por ano, mas nesta recente visita estamos acompanhados de um casal estrangeiro, por isso pedimos várias coisas para partilhar. Umas que achamos que eles têm de provar, outras sobre as quais eles ouviram e querem conhecer, enfim, coisas variadas. 🙂

Começamos pelo “marisco pequeno”, porque estamos a tentar explicar que somos um povo de petiscos. E que melhores petiscos para começar do que umas Amêijoas à Bulhão Pato e umas Gambas à Guilho? Pois que no Barbas as amêijoas estão muito boas! Sente-se a sua qualidade e, mais do que isso, a molhanga é excelente. Sabem aquele molho com muito azeite e um toque forte a alho que apetece molhar em todo o pão que encontramos à frente? Ora, só com estas amêijoas acabamos com um cesto inteiro – de pão torrado, claro, como devia ser em todo o lado.

O cesto que pedimos a seguir foi quase todo para as Gambas, com um molho igualmente bom, mais forte, espesso e picante. Muito alho frito a sobrar na frigideira, que é uma daquelas coisas que eu adoro!!! 🙂

Para nós, nada mal para começar. E para os nossos amigos estrangeiros, foi uma verdadeira delícia.

Talvez por causa do molho dos petiscos estar tão bem apurado, o Polvo à Lagareiro não surpreendeu. Nada mesmo. O bicho até era bom, mas faltava-lhe azeite, muito azeite. Não surpreendeu nem turistas nem locais.

Mas felizmente as Sardinhas chegaram ao mesmo tempo à mesa … e são maravilhosas! Para nós foram as primeiras do ano, para eles foram as primeiras de sempre. Carnudas, frescas, muito bem trabalhadas na grelha, e servidas numa dose substancial, só com batatas, porque não precisam de mais nada. Azeite para cima e já está.

No geral, o Barbas deu-nos uma excelente apresentação daquilo que é nosso peixe fresco e marisco, que era exactamente aquilo que queríamos mostrar a quem nos acompanhava. A caldeirada – que é a especialidade (quase) incontornável do Barbas – fica para outra visita. E, claro, ainda faltavam as sobremesas.

Pedimos três para dividir entre 4 pessoas, porque parecendo que não, entre petiscos, pratos e jarros de vinho verde à pressão, já estamos bastante satisfeitos. A Mousse de Chocolate não aquece nem arrefece, mas tanto o Pudim de Ovos como a Tarte de Noz são muito bons. Sobremesas mais ou menos clássicas, que são no fundo o que temos de melhor.

Durante quase toda a refeição, os nossos amigos perguntavam onde estão os turistas… e tentamos explicar que a quase totalidade das pessoas que enchiam a sala eram portugueses. E isto diz quase tudo em relação ao Barbas. Um restaurante com muita fama, numa zona onde há muita oferta… mas que atrai “multidões” pela qualidade da comida. E, claro, da matéria-prima utilizada. É verdade que se formos mais para o centro da Caparica haverá opções mais baratas que o Barbas, mas a diferença não será assim tão substancial e é sempre agradável comer a ver o mar.

O Barbas é um clássico na Costa da Caparica. E há clássicos que nunca passam de moda!

 

Preço Médio: 20€ pessoa (com vinho da casa)
Informações & Contactos:
Praia do BARBAS/CDS | 2825-391 Costa De Caparica, Setúbal | 21 290 0163

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.