SOI – ASIAN STREET FOOD

Partilha!

A Ásia no Cais do Sodré! Mas nem tudo é o que parece…

Disclaimer: resolvemos re-escrever este post, depois de o termos escrito a primeira vez. Porque voltámos ao SOI mais duas vezes depois da primeira e, infelizmente, a experiência não foi ficando melhor… O que é das piores coisas que nos podem acontecer, porque recomendamos um restaurante a toda a gente e, em visitas posteriores, percebemos que foi ficando pior ou, pelo menos, não melhorou. E isto foi o que sentimos no SOI. Que as coisas que deviam ter melhorado, estão na mesma. Na segunda e principalmente na terceira visita.

Restaurante SOI - ASIAN STREET FOOD Cais do Sodré

O SOI – Asian Street Food foi um dos restaurantes que abriu no “boom” da tendência dos restaurantes asiáticos em Lisboa. Aquele que não são japoneses, nem tailandeses, nem chineses ou coreanos, nem mesmo indianos. São “asiáticos”, que é um termo genérico, e que permite a estes restaurantes ser de tudo um pouco e servir pratos de qualquer um desses países.

E mais do que uma oferta abrangente, este conceito asiático tem toda uma parafernália de referentes visuais de decoração que transformam estes novos restaurantes em sítios altamente concorridos… e “instagramáveis”. Já existia o Malaca Too na LxFactory (onde já estivemos), depois o Chef Kiko abriu O Asiático (que ainda está na nossa lista de restaurantes a visitar este ano), surgiu antes do verão o Boa Bao (vejam aqui o que achámos), depois o Atari Baby (menos interessante, sobre o qual podem ler aqui) e, mais recentemente, este SOI. Ufa!!

Restaurante SOI - ASIAN STREET FOOD Cais do Sodré

O SOI ocupa um espaço que já foi muita coisa: já por lá passou o Substância e depois o Sushi Riberira, e isto só nos últimos anos. Aliás, toda a Rua da Moeda tem uma rotatividade muito grande a nível de restaurantes. 

Ora, aquilo que sentimos quando entrámos no SOI a primeira vez é que o espaço foi muito bem pensado no sentido de nos transportar para aquilo que é o nosso imaginário do “asiático urbano”. Temos neons, temos luzes baixas, um papel de parede enorme com motivos asiáticos mais modernos, enquanto a parede contrária é coberta de uma malha metálica. Conseguimos até ver, atrás do balcão no fundo da sala, uma empregada com um chapéu de palha vietnamita. Esta empregada está lá na segunda e na terceira vez que vamos ao SOI, sem que consigamos perceber o que faz… mas completa a moldura.
Restaurante SOI - ASIAN STREET FOOD Cais do Sodré
A cozinha é aberta, sendo que em primeiro plano estão as chapas onde fazem os grelhados, o que nos desperta logo os sentidos. Há um buzz muito cosmopolita no espaço, que está cheio (num misto de turistas e locais), ou seja, sentimos que podíamos estar numa cidade asiática qualquer (em Hong Kong ou Tóquio, ou mesmo Singapura…). A única coisa que destoa radicalmente é a música ambiente… um espaço destes pedia uma playlist com pop japonês ou algo mais étnico e urbano, em vez de uma playlist de easy listening que não fica longe da música de elevador ou de bar de hotel. É pena… e é algo que não muda nas visitas seguintes, porque a playlist continua a mesma e igualmente desajustada.
Restaurante SOI - ASIAN STREET FOOD Cais do Sodré
Ora, se a música está completamente desenquadrada com o conceito do restaurante, a carta acerta na mouche! Sim, nem todos os pratos são de street food asiática, mas a ideia está lá e resulta na perfeição. É uma carta curta, dividida entre entradas, saladas, baos, sopas, grelhados, wok e pratos de caril. De tudo um pouco, portanto.
A descrição dos pratos chama imenso a atenção e faz-nos querer um pouco de tudo… e esse é o principal problema do SOI: a promessa de ingredientes que lemos na ementa nem sempre se concretiza nos pratos. O que seria até desculpável nos primeiros meses de um restaurante, mas não se aceita passado tanto tempo.
Das várias vezes que fomos jantar ao SOI, pedimos alguns pratos, para provar coisas diferentes, numa espécie de viagem asiática. Na primeira vez, no geral, ficamos muito bem impressionados. Depois vamos sendo menos surpreendidos, mesmo quando provamos coisas diferentes…
 Restaurante SOI - ASIAN STREET FOOD Cais do Sodré
Nas sugestões para partilhar temos os Fire Crackers, que são uns camarões enrolados em massa crocante, para molhar num delicioso molho de chili doce, e também as Chamuças Bang Bang – beterraba com ricotta, ervilhas e garam masala, acompanham com um shot que é perfeitamente dispensável, porque as próprias chamuças são um espectáculo. Noutra visita as opções foram os Vietnamese Goi Cuan, que são uns rolos de massa de arroz com camarão, legumes, amendoim e um doce de tamarindo, muito interessantes, e os Tacos Bhuna Gosht (com caril de borrego, iogurte e hortelã), que são uma maravilha!
Ainda num registo de entradas para partilhar, os baos são sempre uma boa opção: neste caso, o Bao de Barriga de Porco é também muito bom, ainda que pudesse ter mais recheio dentro do pão, porque se perde um pouco.
Restaurante SOI - ASIAN STREET FOOD Cais do Sodré
Mas também é logo com as entradas que começamos a perceber outro dos “pormenores” que ainda é preciso afinar no SOI: o nome dos pratos e as expectativas que isso nos cria, que depois não são cumpridas com precisão. O Ceviche de Camarão com Salada Thai só se chama ceviche porque o camarão é marinado, porque de ceviche não tem absolutamente nada. É uma bela salada de papaia com leite de côco, muito fresca e cheia de sabores exóticos, mas não tem nada a ver com a acidez que esperamos de um ceviche. Lá está, o prato é muito bom, mas para quem espera ceviche, não é isso que vai ter.
O mesmo problema de nome do prato acontece-nos no Udon de Caranguejo, um prato que comemos nas três vezes que fomos ao SOI. Na descrição lê-se massa udon com molho kimuchi e caranguejo… mas o prato que recebemos tem a massa e o molho… e camarão. O caranguejo está desfiado por cima da massa, mas muito desfiado mesmo. Não era bem o que esperávamos, por isso, logo na primeira visita, perguntamos a quem nos serve se é mesmo assim, e pelos vistos é. Aliás, o camarão foi adicionado depois, exactamente para dar mais proteína ao prato. Mas isso devia ser explicado na carta, para que soubéssemos o que esperar (e imaginemos que éramos alérgicos a camarão…). De qualquer forma, e independentemente disso, o prato é uma maravilha. Ligeiramente picante mas muito apurado, um sabor rico, a massa deliciosa. Nomes à parte, este é um prato que vale a visita ao SOI!
Restaurante SOI - ASIAN STREET FOOD Cais do Sodré
E esta questão dos nomes e descrição dos pratos deixa de ser um pormenor e começa realmente a incomodar depois de uma segunda e terceira visita ao SOI, porque percebemos que nem as descrições nem as composições dos pratos mudam. Numa terceira visita, a escolha é o Arroz Frito do Mar. A descrição fala de arroz salteado no wok com camarão, vegetais e “diversos da nossa costa”. E se a ideia do fried rice é muito boa, a execução falha completamente porque os tais “diversos” não existem! O arroz é frito, com vegetais e camarão, alguns cogumelos… mas mais nada! A não ser que o próprio arroz conte como esse “diverso da nossa costa”…
 
Não há nada a apontar ao sabor dos pratos, mas era importante não criar expectativas com a sua descrição. O único prato dos que provámos que não precisa de grandes explicações – por ser conhecido e porque cumpre com o que está escrito na lista – é o Pad Thai. É a importação mais conhecida da gastronomia tailandesa e aqui no SOI é bastante bem conseguido, com boa textura e muita coisa misturada, talvez apenas a precisar de um pouco mais de sal (mas que disfarça com o molho de soja).
Nas sobremesas resolvemos perguntar antes de escolher, e ainda bem que o fizemos, porque o “Matcha Brownie” não é um brownie de matcha… enfim, o que importa mesmo é que as sobremesas que pedimos mantiveram o registo excelente do resto dos pratos! O Lemon Grass Burlê é basicamente um creme brulê de lemon grass com um biscoito de goiaba e várias especiarias indianas, e posso dizer-vos que é das coisas mais maravilhosas que comemos este ano! Um equilíbrio perfeito entre acidez e doçura, onde as especiarias dão um toque exótico e o biscoito é uma verdadeira surpresa. Também excelente o Panacotta Cheesecake, de côco e maracujá, uma espécie de fusão das duas sobremesas, com uma diversidade de texturas e sabores que funciona na perfeição.
Restaurante SOI - ASIAN STREET FOOD Cais do Sodré
As comparações com os outros restaurantes “asiáticos” abertos recentemente em Lisboa são inevitáveis, e o SOI destaca-se pela positiva. O ambiente é bastante bom e transmite o que se pretende que transmita, ou seja, uma ideia de experiência asiática urbana, mesmo no centro de Lisboa. Ainda que a música tenha de mudar…
Em relação ao serviço, na primeira visita foi muito atencioso e interessado, ouvindo todos os reparos que fomos fazendo, sempre de forma construtiva, porque só assim é que se melhora. Mas a verdade é que nas duas visitas seguintes sentimos uma desorganização crescente, assim como a falta da simpatia inicial. E quando a progressão é feita nesse sentido, não estamos bem…
E, acima de tudo, a comida é boa, bastante boa, e com boa apresentação. A questão dos nomes dos pratos e da sua descrição é que tem de ser revista, porque não faz o mínimo sentido num restaurante deste género. Pode induzir em erros e mesmo criar situações desagradáveis. E essa é uma publicidade que o SOI não precisa, de todo. Até porque o restaurante se tornou rapidamente num spot “da moda” em Lisboa, tanto pelo tipo de comida como também pela zona em que está localizado e, claro, pelos pormenores de decoração “instagramáveis”. Agora só é preciso – continua a ser preciso – resolver os pormenores negativos.
Preço Médio: 23€ pessoa (2/3 entradas e um prato a dividir, com cerveja)
Informações & Contactos:
Rua da Moeda, 1 C | 1250 Lisboa | 912 895 391

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.