ÁGUA PELA BARBA

agua pela barba tasca moderna restaurante peixe petiscos bica lisboa balcao
Partilha!

Qualquer semelhança com o Isco… não é pura coincidência.

O Água Pela Barba abriu em Dezembro no local onde era o Isco da Bica. Nova administração, o mesmo chef, o mesmo conceito, decoração menos excessiva.

Começando logo por aquilo que o novo Água Pela Barba “herdou” do extinto Isco da Bica, mas pela negativa: o mobiliário continua a ser desconfortável (encaixa-se no conceito do restaurante mas passada meia hora já estamos um bocado doridos). As mesas ainda são demasiado juntas (passamos grande parte do jantar a levar cotoveladas nas costas de quem está na mesa de trás) e o serviço feito apenas por uma pessoa continua a não ser suficiente para um espaço que está sempre cheio.

Ora, passando por cima destes pontos negativos, que já eram pontos negativos no restaurante que ocupava este espaço há uns meses atrás, a verdade é que o Água Pela Barba ganha ao seu antecessor pela qualidade da comida. Porque se já tínhamos gostado de algumas das coisas que o Chef João Magalhães fazia no Isco, agora adorámos (quase) tudo o que nos chegou à mesa no Água Pela Barba!

Seguindo a lógica dos pratos para partilhar, e porque éramos 5 a jantar, partilhámos mesmo muita coisa. O tártaro de atum é um dos melhores tártaros que já comemos, sabor perfeito! E se o tártaro estava excelente, os tacos de peixe cru estavam ainda melhores. Continuam a ser pequenos, mas o sabor é fenomenal!

Ao mesmo tempo dos tacos, outra entrada bastante interessante e bem conseguida: as bolinhas de bacalhau com creme de coentros, favas e chouriço são um twist muito engraçado de um prato tão tipicamente português, que serve para o apresentar a novas gerações.

Houve apenas um elo mais fraco nos pratos que pedimos, que foram as lulas recheadas com salsicha fresca, acompanhadas de puré de batata. Não que estivessem más, mas a dose era a mais pequena de todas e o sabor não surpreendeu. Ao contrário do que acontece com o arroz cremoso (vulgo risotto) de açafrão com camarão, um prato que volta ao registo do excelente!

As outras duas escolhas, antes das sobremesas, são as mais seguras: o polvo grelhado com creme de grão e limão é muito bom, com o polvo cozinhado de forma perfeita e o puré a dar-lhe um toque de frescura muito interessante; e as bochechas de porco preto com amêijoas e puré de batata doce, que são um espectáculo! As bochechas desfazem-se ao toque, o puré é imaculado e as amêijoas dão-lhe um toque final maravilhoso.

As doses são bastante bem servidas, o que faz com que esta lógica de partilha resulte muito bem e que estejamos todos muito satisfeitos no final do jantar. Mas como somos 5 pessoas e há 2 sobremesas na lista, não resistimos a pedi-las! O tiramisú é muito bom, servido dentro de um frasco, mas o mais surpreendente são as canilhas, pequenos rolos de massa crocante com creme de pasteleiro no interior, que deixam na boca um sabor a farturas muito engraçado!

O jantar não fica barato porque pedimos muita coisa, mas ainda assim estes não são petiscos baratos. Só que é preciso ter em conta que estamos a falar de peixe e marisco, produtos com qualidade que aqui no Água Pela Barba são muito bem trabalhados e servidos. E também é verdade que as doses são muito bem servidas, por isso até se pode jantar só com um prato.

Para nós, fica a lembrança de um jantar excelente e de um restaurante que, se conseguir manter este nível, vai dar água pela barba aos outros concorrentes ali na zona! 😉

Preço Médio: 20€ pessoa (4 pratos, com vinho)

Informações & Contactos:
Rua do Almada, 29 | 1200-109 Lisboa | 21 346 1376

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta