CHARKOAL

Partilha!

O problema (principal) está na grelha…

Cada vez menos deixo influenciar as minhas escolhas de restaurantes pelo nome dos Chefs que assinam os espaços. Isto porque – infelizmente – os chefs de cozinha são cada vez mais “máquinas de marketing”, envolvidos em cada vez mais restaurantes. O que implica que aconteça o inevitável: não conseguem estar em todo o lado ao mesmo tempo e acabam por delegar. O que nem sempre resulta bem para nós, consumidores, que fomos a este ou àquele restaurante por causa do Chef “coiso e tal”.

Charkoal Marina de Oeiras

Ora, o Charkoal tem a assinatura do Chefe Cordeiro. Mas foi mais do que isso que me chamou a atenção, porque tem uma boa localização (Marina de Oeiras, quase em cima do mar) e ainda um bom posicionamento (grelhados, principalmente carnes). E foi por um conjunto de factores que lá acabamos a jantar numa sexta-feira à noite.

Chegamos pouco depois das 21h e estranhamos o restaurante estar tão vazio, mas quando saímos, duas horas depois, não há nenhuma mesa livre. O espaço tem algum requinte, decoração subtil e com bom gosto, a sofisticação que esperamos de um restaurante de Chef. À entrada vemos logo a grelha, caso não soubéssemos ao que íamos, e o primeiro destaque na sala é o bar. Pessoalmente acho que o plasma gigante numa das pontas da sala, a passar jogos de futebol, é completamente desnecessário e nem se ajusta ao espaço e posicionamento… mas pode ser só a minha opinião.

Charkoal Marina de Oeiras

Charkoal Marina de Oeiras

Outra coisa que não se ajusta ao tipo de restaurante é o serviço. É verdade que o restaurante ainda nem tem 6 meses, mas esperávamos melhor. Tanto a nível de simpatia – que oscila entre o “muito atencioso” para mesas onde estão estrangeiros ou clientes frequentes, e o “desinteressado” para as outras; como também a nível de rapidez. Este ponto mistura-se com o anterior, porque esperamos quase 1 hora pelos nossos pratos, enquanto vemos mesas ao lado que chegaram depois de nós a serem servidas antes (lá está, de gente que mostra não ser a sua primeira visita).

Há ainda alguma desorganização (empregados diferentes a fazer as mesmas perguntas, por exemplo), mas tudo isto pode (e deve) ser melhorado. Especialmente num restaurante com este posicionamento e nível de preços.

Essa é outra questão. Percebo que estamos na Marina de Oeiras e num restaurante como o Charkoal que tem a assinatura de um Chef famoso, mas os preços são demasiado elevados. Há muitas outras casas na zona que servem o mesmo tipo de comida a preços muito mais acessíveis… e com melhor confecção. Isto é mais perceptível nas entradas.

Charkoal Marina de Oeiras

Mas tudo isto seria secundário se a comida fosse fora de série! Só que não achámos…
De um restaurante de carnes grelhadas esperamos duas coisas básicas: produto de qualidade e mestria na grelha. E no Charkoal só vimos a primeira.
A picanha chega à mesa no ponto pedido, mas é a única. O bife do acém, pedido médio, chega mal e volta para trás (o mesmo acontece numa das mesas ao nosso lado, mas porque chega bem passado quando pediram mal).

Charkoal Marina de Oeiras

Charkoal Marina de Oeiras

E o frango precisava de pelo menos mais 5 minutos na grelha, porque tem partes perto dos ossos que estão ali no limite do cozinhado, mas mesmo no limite… Se a questão do ponto da carne até pode ter sido falha de comunicação, em relação ao frango é falha de quem está na grelha. E nem terá sido falta de tempo, porque esperámos quase uma hora.

Charkoal Marina de Oeiras

Nada a dizer acerca da qualidade das carnes em si, que é bastante boa. Os acompanhamentos cumprem o seu papel.

Charkoal Marina de Oeiras

Pouco convencidos, pedimos as sobremesas, que acabam por fechar bem o jantar. O bolo húmido de chocolate com natas frescas é bom, tanto a nível de sabor como de textura, mas a tarte de queijo com doce de frutos silvestres é bem melhor. Uma “prima afastada” do cheesecake, muito bem conseguida, sim senhor.

Charkoal Marina de Oeiras

Honestamente, esperávamos melhor, a todos os níveis. Todos os restaurantes devem estar preparados para abrir ao público, e isso é ainda mais importante em restaurantes que têm Chefs conhecidos envolvidos. A “desculpa” do ter aberto há pouco tempo nunca me convence… porque sendo assim, era preferível que os restaurantes ficassem “às moscas” durante os primeiros meses e só começava a contar a sério depois disso.
Mas mais do que o serviço (que se afina), o que mais me preocupou no Charkoal foi a questão dos pontos da carne. E quando isso falha num restaurante especialista em carnes grelhadas, é preocupante. Digo eu.

Preço Médio: 30€ pessoa (com cerveja)

Informações & Contactos:
Marina de Oeiras, Bloco A | 2780-267 Oeiras | 214 414 437

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta