SELFISH

SELFISH

Boas ideias, mas feitas à pressão…

Fiquei um pouco indeciso em relação à opinião sobre o SelFish. Porque se é verdade que a comida não foi assim tão bem conseguida, também é verdade que este é um conceito tão inovador em foodcourts que por si só merece ser valorizado. As ideias são boas e as fotografias nas paredes muito mais apelativas do que nos espaços à volta… falta apenas uma mão menos “industrial” na confecção.
Mas vamos começar do início.

O SelFish foi dos primeiros conceitos diferenciadores de foodcourt de centro comercial a dar destaque a uma matéria prima que não as carnes. O domínio era dos hambúrgueres, pizzas e saladas, sendo que depois foram surgindo variantes de cada um deles. Por isso, um espaço completamente dedicado ao peixe é uma lufada de ar fresco.
E demorámos tanto tempo a ir experimentar apenas por uma questão de proximidade: os centros comerciais das zonas que frequentamos não têm esta oferta.

restaurante selfish amoreiras

Enquanto estamos na fila começamos a ver as fotografias e realmente os pratos têm excelente aspecto! Estamos a falar de basicamente 3 escolhas de formato (lombo, tártaro ou burger) e mais 3 ou 4 escolhas de peixe (salmão, atum, pescada e robalo), o que facilita bastante o processo de escolha. Há ainda a novidade que são os timbales (bacalhau e cavala), que são completamente diferentes de tudo o resto. Mas já lá vamos.

Ora, ideias boas, fotos apetitosas… mas infelizmente estamos num registo de centro comercial, onde o serviço tem de ser o mais rápido possível. O que prejudica a qualidade.

restaurante selfish amoreiras

O burger de atum, que pedimos mal passado, é-nos servido bem passado. Nem o precisamos de cortar ao meio, vê-se imediatamente. E isso é ainda mais grave quando são as próprias pessoas que nos atendem a reforçar que se trata de um burger de atum mal passado. E depois servem-nos isto…

restaurante selfish amoreiras

Por outro lado, o tártaro de salmão, acompanhado de uma maionese de wasabi. Não é mau, a dose é bem servida… mas falta-lhe algumas nuances a nível de sabor. Melhora quando envolto na maionese, mas mesmo assim…

restaurante selfish amoreiras

Finalmente, a novidade. O timbale de cavala é basicamente um empratamento cilíndrico para uma base de puré de batata doce e broa crocante, seguido de espinafres salteados, cavala em conserva e um molho de tomate e coentros. Tudo parece fazer sentido e chama a atenção, mas falha novamente na execução. E aqui tem a ver com temperaturas: o puré é quente, a broa é fria, os espinafres estão quentes (e não foram escorridos, por isso empapam o puré) e, finalmente, a cavala volta a estar fria. Isto faz com que todo o conjunto, porque tem de ser comido ao mesmo tempo, fique morno e um bocado desenchabido… É saboroso, mas é estranho porque parece que foi mal aquecido…

restaurante selfish amoreiras

Ou seja, é tudo um problema de localização e do facto de o SelFish ser um espaço que tem de servir refeições a correr. É normal num centro comercial, e por isso somos menos exigentes com pizzas, hambúrgueres e coisas do género. Mas quando entramos no registo do peixe, custa um bocadinho mais perceber que há aqui potencial… e simplesmente não há tempo para executar melhor as coisas.

Preço Médio: 10€ pessoa (com bebida)

Informações & Contactos:
Centro Comercial Amoreiras | Avenida Engenheiro Duarte Pacheco, 2037 | Piso 2, Lojas 3012/3013 | 1070-103 Lisboa | 21 1359512

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.