restaurante season

SEASON

Nem tudo o que é bonito… é bom.

Até parece um ditado popular, mas não é. Ou pelo menos, não desta forma, nem tão pouco adaptado ao texto que vamos escrever nas próximas linhas. A frase ajusta-se sim na perfeição ao Season, um dos novos restaurantes sensação de Lisboa, que tem aparecido em todo o lado nas redes sociais (e na comunicação especializada). Porque o Season está cheio de pormenores que dão fotos excelentes para feed de Instagram, incluindo os pratos e a sua apresentação excelente. Mas depois, quando passamos essa fase inicial, há demasiados pontos que não resultam assim tão bem no restaurante…

Lisboa sempre teve restaurantes trendy, não é algo recente. Mas só desde há um par de anos para cá é que alguns restaurantes começaram mesmo a investir neste posicionamento, porque lhes facilita a comunicação. Em parte. Quantos mais pormenores “instagramáveis” existirem, mais são as fotografias que dali resultam, e logo maior é o buzz espontâneo em torno do restaurante. Talvez por isso mesmo, quando entramos no Season parece que já conhecemos bem o restaurante, tantas foram as fotos com que nos fomos cruzando nos últimos meses.

O Season fica numa das ruas que desde do Príncipe Real para São Bento, mesmo ao lado da Nanarella, e o seu ambiente vivo e bem iluminado faz o contraste necessário com a rua um pouco escura. Aliás, é uma rua em que se passa pouca coisa, por isso o destaque vai todo para aqui. Quando entramos, temos uma primeira sala, maior e mais iluminada, com mobiliário, candeeiros e mesmo néons que já vimos noutros restaurantes da moda. Mas que resultam sempre. Depois, subindo um pequeno lanço de escadas, temos uma outra sala mais pequena e também um pouco mais privada, onde o destaque vai para a instalação floral na parede com a frase “Eat Your Greens”. Nada de novo, também, mas dá para mais umas quantas fotografias. Assim como o pequeno jardim de Inverno que também existe nessa zona, e que serve basicamente para o fumadores fazerem a sua pausa.

Ora, se o espaço não surpreende mas cumpre o seu propósito, o serviço já nem por isso. Podemos ter tido azar, mas as duas pessoas que nos serviram eram demasiado inexperientes e não muito conhecedoras do que estavam a servir. Ok que o registo era o de um jantar de grupo, o que dificulta sempre um bocado a gestão do serviço, mas ainda assim foi tudo um pouco atabalhoado. E quando houve dúvidas (simples) acerca dos pratos pedidos, nunca houve resposta segura. Esperávamos um serviço jovem, sabíamos disso, mas também o esperávamos um pouco mais preparado.

A ementa do Season apresenta-se como sazonal, mudando ingredientes e pratos consoante a estação, o que faz muito sentido e devia ser apanágio de todos os restaurantes. E aquela que nos chegou às mãos quando nos sentámos é composta por muitos pratos para dividir – não são entradas nem pratos principais, são porções para dividir, andam ali no meio. A ideia é boa, ainda que volte a não ser original. Aliás, o primeiro restaurante dos donos do Season – o Água Pela Barba, sobre o qual podem ler aqui – já faz isso há quase dois anos, por exemplo.

De qualquer forma, a ideia é boa, e como somos um grupo grande, dá para provar praticamente tudo! O primeiro prato que nos chega à mesa é o Carpaccio de Polvo, que traz também batata, azeitona e alcaparras. Um começo muito fraquinho, diga-se… O polvo está lá, é verdade, mas a batata é envolvida numa espécie de salada russa tão intensa que retira todo o sabor ao bicho. No fundo, parece que estamos a comer uma salada russa com um bocadinho de polvo.

Seguindo em frente, com o Tártaro de Carne, que é bastante bom. Carne de vaca, um creme de avelãs e uma espécie de geleia de alperce, conjunto que fica muito bom todo misturado, ainda que isso estrague a apresentação inicial do prato.

Quase ao mesmo tempo, chega à mesa outro prato de carne: os Croquetes de Borrego acompanhados de molho gribiche (que é uma espécie de maionese, uma receita francesa que também leva mostarda e alcaparras e resulta num molho intenso e fresco ao mesmo tempo). Os croquetes têm uma polme que até se aproxima mais da tempura e um recheio muito bom, saboroso, sem ser demasiado massudo, que combina muito bem com o molho. Um prato que parece dos mais simples da carta, mas que não só é bastante complexo como muito bom!

O prato que se segue é a Burrata com Cogumelos e Quinoa Crocante. Outra desilusão… E a desilusão tem basicamente a ver com a própria burrata, que está demasiado líquida e em pouca quantidade no fundo do prato, debaixo dos cogumelos cobertos com quinoa. Ou é o nome do prato que não faz sentido ou é mesmo a sua execução, mas quando leio “burrata” numa ementa penso mesmo numa burrata com destaque principal do prato, e não apenas como complemento de tudo o resto. O queijo perde-se completamente e fica basicamente um prato de cogumelos com um toque de queijo e umas coisinhas crocantes em cima. Pois…

Bom, nesta altura já todos na mesa tínhamos percebido uma coisa: aquele impacto inicial doa apresentação dos pratos transformou-se num feeling diferente, não de repetição mas quase. Sim, somos um grupo grande e pedimos muita coisa, e por isso damos o desconto… mas tudo aquilo que li acerca da apresentação dos pratos do Season ser fantástica e a louça ajudar imenso para isso cai um bocado por terra quando pedimos muitos pratos diferentes e começamos a perceber que a maioria é muito parecida. Na louça, no empratamento… Enfim, é olhar para as fotos.

Ainda assim, os pratos continuam a chegar e nós continuamos a partilhar. Agora temos o Ovo Trufado, que é um prato excelente a nível de sabor, mas que fica um bocadinho ao lado a nível das proporções. Ele é puré de batata trufado, cogumelos, cebola frita… e algures ali pelo meio um bocadinho de ovo. Pois, é isso mesmo. Com este nome, eu daria maior destaque ao ovo do que ao resto dos ingredientes, mas posso ser só eu. De qualquer forma, o sabor é muito bem conseguido.

E o melhor prato da noite é também o último prato da noite. O Risotto de Abóbora com Bochecha estufada a baixa temperatura é o prato menos irreverente ou diferenciador de todos aqueles que provámos, mas também o mais bem conseguido a nível de sabor, proporções e mesmo apresentação. O risotto é fenomenal, com o arroz no ponto de cozedura certo e o sabor muito equilibrado entre a abóbora e o parmesão, e as bochechas estão deliciosas, de cortar à colher. Todo o conjunto é fantástico, mesmo sendo o prato mais “simples” da noite. E isso se calhar quer dizer muita coisa…

O Season efectivamente funciona melhor no registo do jantar de grupo, porque as doses para partilhar pedem que sejam provados vários pratos e que se prove o máximo possível. E isso acaba por tornar o jantar mais longo e, no final, acaba por não nos deixar assim muito espaço para sobremesas. Ainda assim, partilhamos duas, porque nenhum jantar fica completo sem elas! 🙂 A Mousse da Quinta é, no fundo, uma espécie de cheesecake, com uma base de mascarpone e um topping de frutas maceradas (das vermelhas, claro) e ainda umas sementes crocantes, que é uma sobremesa sem surpresa nenhuma mas que também não tem nada de errado. Muito melhor – e mais surpreendente – é o Bolo de Cenoura com Pipocas de Caramelo Salgado! Uma sobremesa gulosa, muito gulosa, onde o bolo é excelente e as pipocas dão um toque crocante maravilhoso. E depois, claro, temos o caramelo salgado. Porque tudo fica muito melhor com caramelo salgado! 🙂

Terminado o jantar, estamos todos moderadamente satisfeitos. A nível de quantidade foi tudo muito aceitável, mas a nível de qualidade e, principalmente, de originalidade, houve demasiados altos e baixos. Mas esse factor não parece ser relevante para a grande maioria das pessoas que enche o Season todas as noites – ou pelo menos as que podemos ir acompanhando pelas redes sociais.

No fundo, o Season é uma espécie de best-off dos novos restaurantes de Lisboa, aqueles mais a atirar para o moderno e que fazem furor nas redes sociais. Já vimos tudo isto noutro lado qualquer, mais para a direita ou para a esquerda, por isso não é novidade. Mas aqui está tudo condensado no mesmo espaço, e a apresentação dos pratos é efectivamente um grande ponto a favor (a nível de ser instagramável), por isso é normal que o Season seja o sucesso que está a ser. Em relação à comida, nada nos surpreendeu de sobremaneira, e houve demasiados altos e baixos para ter sido uma experiência inesquecível. Ou seja, as fotos são melhores do que a execução de alguns pratos.

Voltamos lá daqui a 6 meses ou 1 ano, para perceber se o hype actual se transformou numa confirmação de valor. Ou se simplesmente passou…

Preço Médio: 25€ pessoa (3 petiscos e sobremesa, tudo a dividir, com vinho)
Informações & Contactos:

Rua Nova da Piedade, 62 | 1200-299 Lisboa | 96 160 24 89

1 comentário em “SEASON”

  1. Obrigado pelo comentário. Vou experimentar o Season e espero que a experiência seja melhor que a vossa. Não “instagramarei”, não “postarei” ou outra coisa qualquer porque há vida para além das redes sociais.

    Responder

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.