RIB – BEEF & WINE

RIB – BEEF & WINE

Um jantar PERFEITO!

E se em Fevereiro tivemos a primeira grande desilusão do ano (no Il Matriciano Al Mare), é também em Fevereiro que temos a primeira grande surpresa do ano. Um restaurante que se “arrisca” a ser o melhor do ano, assim de caras! Isto porque entrámos no RIB – Beef & Wine sem qualquer expectativa (e um bocadinho de pé atrás por causa do estigma “restaurante de hotel”)… e saímos de lá rendidos a tudo! Ao espaço, ao serviço e, claro, à comida.

O RIB – Beef & Wine já existe no Porto há algum tempo, mas em Lisboa o restaurante tem cerca de um mês. Na capital veio ocupar o espaço do antigo Lisboeta, o restaurante que dá apoio à Pousada de Lisboa, na Praça do Comércio. E escrevo “dar apoio” porque continuamos – erradamente – a encarar os restaurantes de hotel como sítios destinados apenas a hóspedes e turistas. Erradamente, já disse?

A entrada no restaurante é feita por um a porta diferente, por isso nem sentimos que estamos a passar pelo hotel. E isso faz toda a diferença. O restaurante está cheio quando chegamos, e percebemos que são maioritariamente turistas (a zona é propícia a isso), mas também percebemos que não são hóspedes. Estigmas pelo cano abaixo! 😉

Sentimos um bom ambiente, as mesas estão divertidas, em amena conversa, num tom de informalidade que também é diferente do que estávamos à espera e que nos surpreende pela positiva. E isso prolonga-se para o espaço em si, que combina sofisticação com alguma informalidade. O que acontece também com o serviço, que mantém o cuidado que seria de esperar num restaurante “de hotel”, mas consegue juntar-lhe alguma descontracção. Até aqui, tudo muito bom.

Sugerem-nos um cocktail para começar, com whisky, gengibre e sumo de limão (excelente!!!), que bebemos enquanto analisamos a lista. Há diversos pratos, mas a estrela é a carne (o nome aqui não engana). Vários cortes diferentes, alguns para partilhar, e tudo nos parece mesmo bem! Por isso, a indecisão leva-nos a pedir sugestões: o que nos aconselham são 3 entradas e um corte de carne para partilhar. Vamos lá a isso!

Primeiro destaque, em todos os pratos: apresentação irrepreensível! O tataki de atum está no ponto perfeito, e o amendoim e o abacate que complementam o prato dão-lhe um toque crocante e fresco surpreendente (e até o pepino e tomate em pickle são uma boa ideia!). Os croquetes, servidos em cestinho de metal, são também bons, mas o melhor de tudo é mesmo o molho de cebola fumada, que é tão bom que o comíamos à colherada. E sem croquetes. Para terminar a trilogia de entradas, os cogumelos assados com molho romesco, ovo e pinhões tostados, servidos em pote, são interessantes mas menos que as outras. Só por comparação, mesmo.

Mas o melhor estava mesmo para chegar. O corte que nos sugeriram foi o t-bone, com parte da carne do lombo e outra metade da vazia… mas as duas MA-RA-VI-LHO-SAS! A carne é tão boa e está num ponto tão perfeito que nem sequer é preciso utilizar nenhum dos molhos que podemos escolher para acompanhar. No prato vêm três tipos de sal, mas a carne em si é mesmo deliciosa, por isso nem sequer precisa. Podia utilizar todo o tipo de adjectivos, mas nenhum consegue descrever a qualidade da carne que nos serviram e a forma como estava cozinhada na perfeição.

Para acompanhar, um excelente brás de legumes, umas batatas assadas, e um bom vinho do Dão. Aliás, de destacar também a carta de vinhos, que se ajusta na perfeição às carnes da ementa.

Fosse o que fosse que se seguisse ao t-bone, tinha a tarefa ingrata de acompanhar o nível. As sobremesas da carta são poucas mas deixam-nos muito indecisos, daí que tenhamos recorrido novamente ao pedido de sugestões: o “the ultimate sin” é um petit gâteau de chocolate de caramelo, uma sobremesa decadente, que nos apetece repetir vezes sem conta; e o pastel de nata desconstruído (que aqui se chama “Lisboa”) é uma ideia interessante mas que só resulta mesmo quando se juntam todas as partes separadas, para ter um sabor mais completo. E já falei acerca da apresentação dos pratos ser muito boa?

Foi um jantar PERFEITO!

O Rib – Beef & Wine não é um restaurante barato, mas quando se come carne fenomenal, sabemos para o que vamos. Aliás, quando comparamos os preços dos mesmo cortes de carne em outros restaurantes de Lisboa (Sala de Corte ou Volver de Carne Y Alma, por exemplo, por serem os que melhor se encaixam neste segmento), chegamos mesmo à conclusão que aqui os preços são mais baixos. E ainda melhor: o restaurante aderiu à Restaurant Week (que começa esta Quarta-feira), e o menu sugerido só tem opções da carta, o que significa que podem provar estes pratos e carnes maravilhosas a um valor ainda mais convidativo.

Independentemente disso, não faz sentido reduzir o Rib – Beef & Wine a uma questão de valor. O jantar que aqui tivemos foi uma das melhores surpresas que temos tido nos últimos tempos, a todos os níveis. Mesmo pertencendo a um hotel, este é um restaurante perfeito, onde tudo é pensado ao pormenor para nos proporcionar uma experiência inesquecível.

É mesmo caso para dizer “Pleased to Meat You”! 😉

Preço Médio: 38€ pessoa (2 entradas e corte de carne para dois, com vinho)

Informações & Contactos:
Praça do Comércio, 31-34 | 1100-148 Lisboa | 968578962

[codepeople-post-map]

2 comentários em “RIB – BEEF & WINE”

  1. Estive para ir lá jantar no Sábado passado mas não arranjei mesa. Fomos em alternativa ao LX grill by Martinez. Na generalidade acho que ficámos a perder, mas na qualidade da carne… talvez não. O chuleton de vaca Galega estava divinal. O resto (espaço, ambiente, mesas) é pouco interessante, mas a carne é TOP. E também cara…

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.