PACHAMAMA

PACHAMAMA

Bons pratos vegetarianos, com calor ou com frio.

A primeira vez que entramos no Pachamama, em Santos, foi em Agosto, numa daquelas noites de calor infernal. A ideia de comida vegetariana no Verão pareceu-nos muito bem… mas o problema é que quando entramos no restaurante percebemos que o ar condicionado não funciona. Dizem-nos que é um problema temporário. E optamos por não ficar, porque está um calor ainda maior dentro do restaurante.

Mas como continuam a falar-nos do Pachamama como um dos melhores vegetarianos de Lisboa, voltamos lá na semana antes do Natal. Em pleno Inverno.

restaurante vegetariano pachamama

Ora, o primeiro impacto é o frio. Sim, quente no Verão, frio no Inverno. Foi o que sentimos e o primeiro impacto que tivemos no Pachamama. E se no calor desistimos, no frio resolvemos ficar. E jantar com casacos vestidos.

Tirando isso, o espaço é simples mas engraçado. Paredes brancas com pinturas artísticas, zonas em pedra, mobiliário simples e moderno. São assim as duas salas que constituem o restaurante. Ficamos na primeira, mais próxima da cozinha, na esperança de ser mais quente. Não é.

restaurante vegetariano pachamama

O Pachamama é daqueles vegetarianos onde a ementa muda regularmente. Ou seja, é mais complicado escolher previamente o que queremos comer, por isso é ir e arriscar. Aquilo que muita gente nos dizia é que íamos gostar de certeza, fosse o que fosse. Honestamente, gostamos… de quase tudo.

restaurante vegetariano pachamama

restaurante vegetariano pachamama

O pão de centeio e pasta tipo hummus que nos servem como couvert só peca por ter pouco pão, mas ambos são deliciosos. Excelente também o molho dos cogumelos à Bulhão Pato, excelente mesmo, muito próximo do molho original… só que em pouca quantidade.

restaurante vegetariano pachamama

Depois, os pratos, onde podemos começar pelo risotto de vegetais da estação, que no dia em que fomos era de abóbora. Nada a apontar nem ao sabor nem à cremosidade, é um risotto cozinhado na perfeição. Podia ter mais parmesão, mas compreendemos o porquê de não ser assim, e também podia ter algo mais que lhe desse textura e um contraste de sabor. O hambúrguer de millet e beterraba com batatas e legumes no forno é menos interessante, ainda que o dito tenha cores e texturas de chamar a atenção. Mas o sabor é o menos interessante dos 3 pratos da noite.

restaurante vegetariano pachamama

restaurante vegetariano pachamama

E o terceiro prato – os ninhos de batata doce com ovo escalfado e molho de tomate – volta para trás à primeira tentativa, porque os ovos passaram muito o ponto. Super atenciosos, trazem-nos um segundo prato, já com ovos escalfados perfeitos. Aliás, todo o prato é excelente! O esparguete de batata doce está no ponto, os ovos complementam muito bem e o molho de tomate é delicioso. Um belo prato para uma noite de Inverno.

restaurante vegetariano pachamama

Para sobremesas, já tínhamos visto na lista duas coisas que nos deixaram água na boca. Mas dizem-nos de forma directa que não há nem o brownie de caramelo nem a mousse de cacau e avelã… porque a Bimby avariou. E que sem a Bimby não conseguem fazer grande coisa. E que por isso só há dois bolos – um de cacau e outro de maçã, ambos com uma textura pouco conseguida e sabor muito menos interessante do que esperávamos. Pena…

restaurante vegetariano pachamama

E isto leva-nos a uma palavra final, exactamente para o serviço… nem sempre somos muito exigentes com o atendimento, depende muito do nosso mood. Há restaurantes em que queremos ser bem atendidos, há outros em que estamos mais descontraídos. Ainda assim, houve pequenos pormenores que nos fizeram sorrir mas pouco nos divertiram: o não abrirem o vinho à nossa frente (por falta de prática, dizem), o demasiado à vontade com que dizem que não conseguem fazer sobremesas sem a Bimby, ou o facto de começarem a fechar o restaurante connosco ainda nos cafés. Demasiada honestidade e descontracção, digo eu.

restaurante vegetariano pachamama

No geral, não nos sentimos desiludidos, tendo em conta o que nos disseram acerca da comida. O Pachamama é um vegetariano muito bom, e mesmo que não tenha tanta oferta como outros restaurantes vegetarianos em Lisboa, tem alguma variedade e, principalmente, muita qualidade. E se a qualidade do produto e da sua confecção é indispensável em qualquer tipo de restaurante, num vegetariano isso é crucial.
Aqui, só faltava fazer alguma coisa em relação ao aquecimento da sala.

Preço Médio: 18€ pessoa (com vinho)
Informações & Contactos:
Boqueirão do Duro, 46 | 1200-163 Lisboa | 21 598 7650

[codepeople-post-map]

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.