restaurante naked principe real

NAKED – TUDO AO NATURAL

Quase tudo… e naturalmente leeeeeeento…

Ainda nem estamos completamente sentados numa das mesas do Naked e já estamos a ouvir a empregada a informar a mesa ao lado da nossa que infelizmente deixou cair um dos pratos que tinham pedido. Muitas desculpas, mas era o último prato de bacalhau que estava preparado e que por isso tinham de escolher outra coisa, ou então esperar uma hora (!!!). Nessa mesa, uma das pessoas ficou incrédula enquanto esperava outro prato que depois pediu, enquanto a outra pessoa comeu o seu prato, que como não caiu ao chão, veio logo para a mesa. Belo começo de jantar, não?

E isto foi constante no nosso jantar num daqueles restaurantes sobre os quais tínhamos muitas expectativas: lentidão e algum amadorismo (o falta de atenção, se quisermos ser mais simpáticos. E tudo relacionado com o serviço.

restaurante naked principe real

O Naked – Tudo ao Natural fica perto do Príncipe Real e é mais um daqueles restaurantes que explora uma das novas tendências em crescimento da restauração lisboeta: a comida saudável. Aqui “ao natural”, ou seja, com o mínimo de intervenção possível. Forte nas redes sociais (porque agora também parece que a malta só come e fotografa coisas saudáveis… fazem falta mais fotos de um belo cozido!), o Naked tem aquele posicionamento que agrada a (quase) todos: muitas opções vegetarianas e vegan, mas algumas coisas com peixe.

O espaço até tem pinta, pelo menos a primeira sala. Um papel de parede a recriar pinturas, iluminação em tons amarelados, mesas a simular mármore. Na parede oposta, um balcão para o serviço take-away, com montra de sobremesas e de garrafas de sumo. Não sentimos aquele “feeling saudável” só porque o espaço é pequeno e acabamos por ficar perto da porta, mas isso não invalida que o espaço seja bastante agradável.

restaurante naked principe real

A saga que começou no bacalhau caído da mesa à nossa direita passou para a mesa da esquerda quando ainda estávamos a escolher o que jantar. Ouvimos a mesma empregada a dizer que a lista estava a mudar e que por isso alguns dos 8 pratos na ementa já não eram servidos. Tendo em conta que a ementa é curta, talvez fosse de avisar antes dos clientes fazerem a sua escolha… Ficámos à espera.

Quase 15 minutos depois de nos terem entregue a lista – e a partir deste momento, ao algum “amadorismo” juntou-se bastante lentidão no serviço – finalmente vieram recolher o nosso pedido (com apenas 3 mesas ocupadas no restaurante)…. O que nos vale é que vamos analisando os detalhes do papel de parede…

restaurante naked principe real

A primeira coisa a chegar à mesa são os sumos “espremidos no momento”. Pode ser apenas uma questão de semântica ou mesmo de gestão das expectativas, mas esperamos que sumos espremidos no momento… o sejam mesmo. E não “espremidos no momento em que foram engarrafados”. Os sumos são bons, mas não foi bem o que nos venderam…

restaurante naked principe real

De seguida, a Mezze, uma das entradas que pedimos. Composta por várias coisas, nem todas as que estão descritas na lista e outras completamente diferentes. É surpresa! Palitos de cenoura e nabo para molhar num excelente hummus e igualmente boa pasta de abacate. Mais regulares a tapenade de azeitona preta e o creme de bererraba com pistachio. Dois tipos de pão a acompanhar, ambos interessantes mas em pouca quantidade para o resto. Vêm perguntar-nos se queremos mais pão para terminar as pastas, ou que é atencioso… mas 2 minutos depois vêm dizer-nos que afinal os pratos estão a sair, por isso se calhar não vale a pena. Concordamos… mas esperamos mais de 5 minutos que os pratos cheguem à mesa. Ou seja, tinha dado para vir mais pão e acabar todas as pastas. Enfim…

restaurante naked principe real

Em relação aos pratos – e tendo em conta que não havia os dois que queríamos em primeiro lugar – a primeira sensação é que as doses são pequenas, ou pelo menos pequenas para o preço. Escolhemos o Strogonoff de palmito e cogumelos com puré de cenoura e alho francês muito por causa do palmito, de que ambos gostamos muito. Ora, tivemos de perguntar se tinha algum, porque o strogonoff só sabia a cogumelos… Além disso, a proporção desses cogumelos em relação ao puré não nos pareceu bem conseguida, era muito poucos.

restaurante naked principe real

restaurante naked principe real

Por outro lado, no Arroz integral com feijão encarnado, manga, guacamole e salsa de tomate as proporções estão muito mais acertadas. A mistura de ingredientes garante um bom contraste tanto de temperatura como de texturas e sabores. Um prato muito bem conseguido, se bem que, pessoalmente, gostaria que estivesse mais temperado. Tendências…

restaurante naked principe real

E por fim, chega à mesa a outra entrada que pedimos, a Shakshouka. Sim, entrada, mas chegou depois dos pratos. Sem nenhum aviso prévio sobre a demora, ao ponto de já pensarmos que se tinham esquecido. Novamente, nada a apontar à qualidade do prato, com o ovo bem escalfado e a mistura de tomate, pimentos e cebola muito saborosa. Mas era melhor de comer logo no início.

restaurante naked principe real

Mais algum tempo de espera até à pergunta sobre se queríamos sobremesas, e depois para elas serem servidas. A oferta era baseada quase só em tartes, e ficámos indecisos porque aparentemente tudo tinha bom ar. Pedimos a Tarte Naked, com uma base de bolacha, depois uma camada de uma espécie de semi-frio de chocolate e ainda um topping de frutos vermelhos, muito boa por sinal, ainda que se torne um bocadinho enjoativa no final (isto se não for para dividir, claro). Por outro lado, a tarte de Abacate e lima sabe demasiado ao primeiro e da segunda só vemos algumas raspas. Ainda assim, duas sobremesas muito boas.

restaurante naked principe real

restaurante naked principe real

Pedimos a conta e, mais uma vez, ficamos à espera… atrás do balcão a empregada está a arrumar bolos e outras coisas, enquanto esperamos. Tudo… naturalmente lento. E, quando finalmente conseguimos sair do Naked, foi com alguma pena, porque realmente estávamos com expectativas e queríamos que tudo tivesse corrido bem. A ideia base do restaurante é muito interessante e algumas das ofertas também.

Mas, mesmo admitindo que podemos ter tido muito azar na noite em que fomos, o que estragou a nossa experiência no Naked foi mesmo o serviço. A lentidão e a falta de alguma noção e destreza. O que é realmente uma pena, porque esperávamos mais. Ou melhor, se preferirem…

Preço Médio: 20€ pessoa (com sumo natural)
Informações & Contactos:
Rua da Escola Politécnica, 85-87 | 1200-279 Lisboa | 925 406 880

[codepeople-post-map]

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.