CANTINHO DO AVILLEZ

Altos e baixos… até chegar a conta.

Achamos o Cantinho do Avillez um bocadinho “overrated”. Que é como quem diz, não achamos tão bom como a maioria das pessoas diz ser. Lá está, opiniões são opiniões. A questão, para nós, é que esta é uma opinião que já tivemos também na Pizzaria Lisboa (podem ler aqui o que escrevemos) e no projecto de curta duração que foi a Cantina Zé Avillez (sobre esse podem ler aqui). É verdade que excluímos desta lista o Mini Bar e o Belcanto (assim como projectos partilhados e pontuais como a Pitaria ou o Rei da China) mas porque esses são restaurantes menos acessíveis a todas as carteiras. O cliente de restaurantes “normal” (como nós somos) não tem possibilidade de ir algumas vezes ao Belcanto ou mesmo ao Mini Bar… mas ainda assim tem muita curiosidade em ir a um restaurante de um Chef com Estrelas Michelin. Por isso, o Cantinho do Avillez parece mais enquadrado num price range mais “em conta”.

O principal problema, pelo menos na nossa opinião, é que há no Cantinho do Avillez demasiados altos e baixos para justificar o preço de alguns dos pratos… e por consequência a conta geral. É certo que “pagamos” o nome do Chef, mas já o mesmo acontecia na Cantina: há pratos que conseguimos comer muito melhores em restaurantes num raio de 500 metros… e a pagar muito menos. E isso torna a experiência cara.

Ainda assim – e começando pelo princípio – é verdade que as primeiras impressões deste Cantinho do Avillez são boas. O espaço é bastante interessante, bem seccionado e decorado, com iluminação que o torna cosy mesmo quando cheio. Há toques de decoração e de louça que nos remetem para o conceito de “tasca moderna”, mas que aqui ainda leva com o nome do Chef para complicar o que podemos esperar do restaurante.

O serviço, esse, acentua os altos e baixos do restaurante, porque está longe de ser consistente. Talvez tenha a ver com as pessoas em si, mas há situações caricatas que simplesmente não se ajustam a este tipo de restaurante… ou, na realidade, a qualquer um. Como por exemplo, na altura do serviço do vinho, depois de me perguntarem a mim se quero branco ou tinto, perguntam-me também a mim o que a pessoa à minha frente quer beber, com um maravilhoso “E ela?”. Deselegante, no mínimo.

A lista é interessante, e percebemos logo que se trata de um Avillez mais acessível. Há alguns best-sellers, alguns pormenores “importados” de outros restaurantes e, no geral, muitos pratos cuja descrição nos deixa logo água na boca. Por isso, o ideal é mesmo ir em grupo e partilhar vários pratos (até porque as doses são relativamente pequenas). E é quando chega a comidaque começam os altos e baixos. Ou seja, não há uma qualidade consistente, aquilo que provamos ora é muito bom ou muito fraquinho. Vamos a isso?

texto

Nos pratos principais: um excelente risotto de cogumelos, saboroso, consistência perfeita, muito bem servido; mas um bife tártaro nada interessante, carne com algum sabor mas que honestamente parecia mais carne picada cozinhada; o “torricado” de leitão com sabores asiáticos é verdadeiramente mau, pouco leitão em relação ao resto dos complementos e acima de tudo só sabe aos molhos utilizados, nem sequer se sente o sabor do “bicho”… O que salva a noite é um formidável tártaro de atum, muito bem acompanhado de peixinhos da horta. O melhor da noite.

texto

texto

Acabando com as sobremesas, novamente altos e baixos: bons Avelã3 e sorvete de limão com vodka e manjericão, leite creme normal e cheesecake desinteressante.

O grande problema destes constantes altos e baixos é que, quando aparece a conta, os pontos positivos ficam para trás em relação aos negativos e acabamos por sentir que as expectativas ficaram longe de ser cumpridas.
Melhor que o vizinho das pizzas, sem dúvida, mas muito pouco consistente para ser um dos habituais.

texto

Preço Médio: ???????
Informações & Contactos:
Rua Duques de Bragança, 7 | 1200-162 Lisboa | 211992369

Muitos altos e baixos… até chegar a conta!

Depois das pizzas mais caras do que o normal (ainda que boas), resolvemos andar uns metros para o lado e entrar no Cantinho do Avillez. Dia de semana, restaurante quase cheio, porque o chef tem nome. As expectativas eram grandes, por tudo o que já tínhamos ouvido.

As primeiras impressões deste Cantinho do Avillez são bastante boas. O espaço é bastante interessante, bem seccionado e decorado, com iluminação que o torna cosy mesmo quando cheio. O serviço também é bastante bom e eficienteBoa carta de vinhos e especialmente de cocktails, sempre uma boa solução, ainda que com preços um pouco acima da média.

Lista muito interessante, daquelas em que a descrição dos pratos nos deixa logo água na boca e onde apetece pedir tudo! E como o grupo era grande, tentámos experimentar tudo o que nos pareceu bom e/ou nos foi recomendado no local.
Mas depois chega a comidaE começam os altos e baixos, ou seja, não há uma qualidade consistente, ora é muito bom ou muito fraquinho.

cantinho do avillez - restaurante sofisticado jose avillez chiado lisboa 2
No couvert, uma óptima pasta de tomate com azeite e alho. Experimentámos muitas entradas, onde o cone de sapateira é excelente assim como os ovos “à professor sec. XXI” e as vieiras; mas depois a farinheira com crosta de broa é normalíssima, o queijo Nisa no forno desinteressante e o atum de conserva caseira com maionese de gengibre e lima, que prometia, uma verdadeira desilusão (principalmente por causa do próprio atum).

Nos pratos principais: um excelente risotto de cogumelos, saboroso, consistência perfeita, muito bem servido; mas um bife tártaro nada interessante, carne com algum sabor mas que honestamente parecia mais carne picada cozinhada; o “torricado” de leitão com sabores asiáticos é verdadeiramente mau, pouco leitão em relação ao resto dos complementos e acima de tudo só sabe aos molhos utilizados, nem sequer se sente o sabor do “bicho”… O que salva a noite é um formidável tártaro de atum, muito bem acompanhado de peixinhos da horta. O melhor da noite.

Acabando com as sobremesas, novamente altos e baixos: bons Avelã3 e sorvete de limão com vodka e manjericão, leite creme normal e cheesecake desinteressante.

O grande problema destes constantes altos e baixos é que, quando aparece a conta, os pontos positivos ficam para trás em relação aos negativos e acabamos por sentir que as expectativas ficaram longe de ser cumpridas.
Melhor que o vizinho das pizzas, sem dúvida, mas muito pouco consistente para ser um dos habituais.

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.