MEZZE

Partilha!

Muito mais do que uma história de refugiados…

Há restaurantes onde vamos que têm toda uma história por trás. Nem sempre é uma história à qual damos atenção suficiente, e por isso nem sequer queremos saber. Mas depois há aqueles restaurantes que nos fazem ir lá por causa de um qualquer contexto… e isso condiciona toda a nossa experiência.

Quando, no ano passado, começaram a aparecer notícias acerca do primeiro restaurante sírio a abrir em Lisboa, o buzz já foi grande. Mas quando se começou a saber que se tratava de um projecto da Pão a Pão – Associação para a Integração de Refugiados do Médio Oriente, houve uma espécie de histeria colectiva! Mais do que a expectativa por conhecer uma gastronomia diferente, ir ao Mezze era a expectativa de ir a um restaurante que estava na moda por todas as outras razões. E talvez por isso, os primeiros meses foram de enchentes constantes.

restaurante mezze

Ora, o mais próximo que tínhamos estado da comida do Médio Oriente tinha sido no Fenícios Castilho (podem ler aqui o que escrevemos). E como essa experiência foi fantástica, a nossa expectativa para este Mezze era também muito grande! Sim, também tínhamos curiosidade por causa do contexto, mas principalmente por causa da comida – até porque não é um tipo de gastronomia muito explorado em Lisboa. Mas já lá vamos.

restaurante mezze

O Mezze ficam situado dentro do Mercado de Arroios, o que quer dizer que se preparem para andar à voltas para estacionar (se forem de carro, claro). O barulho conseguimos ouvir do exterior, e ao entrar no restaurante, há duas coisas que saltam logo à vista: em primeiro lugar, o enorme balcão numa ponta da sala, onde podemos ver as cozinheiras a preparar os pratos; e depois, a mesa central, que ocupa quase toda a sala e onde a ideia é sentarem-se pessoas que não se conhecem. Aliás, isso é algo inerente a este tipo de gastronomia, a ideia de partilha.

restaurante mezze

E a lógica da ementa no Mezze é também a de partilha, porque destaca as mezze, que são exactamente isso: pequenos pratos para partilhar. Por isso mesmo, a sugestão que nos dão é pedir duas mezze, com pratos diferentes, para experimentar o máximo possível.

A Mezze 05 tem Baba Ganoush (puré de beringela assada com tahini, romã e especiarias), Kebseh (arroz fumado com pimentos), Fatoush (salada mista com pão árabe estaladiço), Meshawi (espetadas de borrego com molho de iogurte) e Khubz (pão sírio). Santinho! 😛

restaurante mezze

Ao mesmo tempo e misturados chegam à mesa os pratos da Mezze 04: Shorbet Adas (sopa de lentilhas), Hummus (pasta de grão cozido com tahini), Kibbeh (bolinhos fritos de carne de vaga, bulgur e especiarias) e Tabbouleh (salada de salsa picada, bulgur, tomate, cebola e hortelã).

restaurante mezze

 

Os destaques vão para as espetadas e o seu excelente molho, assim como o Baba Ganoush, com uma textura perfeita e um sabor muito exótico. Fenomenal também a sopa de lentilhas e os kibbeh, uns bolinhos muito bons, com as especiarias a transformarem aquilo que seria um normal pastel de carne numa verdadeira viagem!

restaurante mezze

Aliás, toda a refeição é isso mesmo, uma viagem. Por causa dos sabores que nos são (parcialmente) desconhecidos, porque estamos a aprender como se comem algumas daquelas coisas (e em que ordem), porque vemos gente à nossa volta a passar pelo mesmo. É uma experiência que ultrapassa muito o seu contexto e a história de refugiados sobre a qual podemos ler no menu.

restaurante mezze

Terminamos essa viagem com duas sobremesas, uma muito boa e a outra demasiado estranha… A primeira é a Baklava (um folhado de pistáchio), sobremesa que já conhecemos de outros restaurantes e que se confirma como viciante e muito gulosa! Mas a Halawa Tahinia – que é um torrão de pasta de sésamo e pistáchio – é simplesmente demasiado estranha, tanto a nível de sabor como a nível de textura. Ainda assim, a escolha foi nossa, quando pedimos alguma coisa que fosse mesmo típica. Ou seja: armas-te em esperto, sofres as consequências! 🙂

restaurante mezze

No fundo, aquilo que sentimos é que o Mezze é muito mais do que uma simples história de refugiados. É um restaurante que tem um contexto, é verdade, mas que se focou em mais do que simplesmente contar essa história. O Mezze está focado em proporcionar-nos uma experiência, e muito diferente daquelas a que estamos habituados. Porque a gastronomia é diferente, a forma de a degustar é diferente, tudo é diferente.

Num cidade que está a ficar cada vez mais internacional, já estava na hora de começarmos a expandir os nossos horizontes para destinos menos tradicionais. A nós, o Mezze despertou-nos a vontade de viajar até ao Médio Oriente… a sério!

Preço Médio: 18€ pessoa (com chá)
Informações & Contactos:
Mercado de Arroios | Rua Ângela Pinto, 12 | 1900-068 Lisboa | (sem telefone disponível)

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.