HAMBURGUÊS – HAMBÚRGUERES ARTESANAIS

Partilha!

Hambúrgueres, em Português.

 

Há zonas na grande Lisboa que têm efectivamente demasiada oferta para a zona em si. Ou, pelo menos, isso é o que parece à primeira vista. Mas depois vamos até lá num dia de semana ao almoço e os restaurantes estão todos cheios. Por isso, não é surpreendente que apareçam restaurantes novos regularmente. E, em quase 90% dos casos, um dos tipos de restaurantes numa zona com muita oferta… é uma hamburgueria.

Mais objectivamente: esta praceta em Oeiras (o chamado Fórum Oeiras) consegue ter um italiano (o La Vecchia Roma, vejam aqui), um O Nosso Prego (sobre o qual podem ler aqui), um restaurante mais ou menos tradicional (conheçam aqui o The Stones), um restaurante de grelhados take-away, uma Domino´s Pizza, uma Sacolinha e ainda uma Padaria Portuguesa! Ufa!!! Por isso, quando abriu uma hamburgueria (até já houve uma, mas era bastante má), ficámos no mínimo curiosos.

Já conhecíamos o Hamburguês de outras núpcias, até porque é uma cadeia em claro crescimento – o restaurante de Oeiras é já o 8º a abrir na grande Lisboa, e mesmo numa fase em que a moda das hamburguerias está (felizmente!) a abrandar. O conceito é interessante e relativamente diferenciador: a utilização da quase totalidade de produtos nacionais para fazer os hambúrgueres, e consequentemente nomes de cidades portuguesas para os tais hambúrgueres. Nem todos os resultados são maravilhosos, mas a ideia base já merece algum crédito.

Este Hamburguês de Oeiras abriu há menos de uma semana, por isso é normal dar o desconto a alguns pormenores que vão ser melhorados com o tempo (esperamos…): o serviço é demasiado desconexo (várias pessoas a irem às mesmas mesas fazer as mesmas perguntas), muita lentidão no serviço e alguma falta de formação sobre a ementa do restaurante (o que faz com que não seja bem explicada). Aliás, esta questão da ementa é a única que já vem de trás e nada tem a ver com este restaurante específico ser novo: a ementa tem demasiadas opções, entre hambúrgueres já feitos, uma área para fazer o nosso próprio hambúrguer (separada por tipo de proteína, pão e toppings…), acompanhamentos, saladas, sobremesas, bebidas… isto tudo numa folha A5, e ainda por cima só uma por mesa, para agilizar o serviço. O que não agiliza nada é o processo de decisão que, nas primeiras visitas, é demasiado confuso. Enfim…

Mas vamos então aos pontos positivos, e que têm muito a ver com os hambúrgueres em si. O pão brioche em que a maioria é servido é bastante bom e até vem semi torrado para a mesa. A qualidade da carne é também muito boa. As conjugações disponíveis não são propriamente surpreendentes, mas é difícil fazer algo completamente diferente quando há tantos restaurantes do género. O facto dos produtos serem bons já é uma agradável surpresa.

Provámos vários:

De Piodão a Barrancos (com queijo da serra, agrião, presunto e cebola caramelizada), coisas simples mas que resultam bem em conjunto;

o célebre Porto (linguiça, fiambre, queijo flamengo, ovo estrelado e molho de francesinha), que no fundo é uma francesinha mas com hamburguer em vez de bife e que resulta relativamente bem em especial por causa do molho, que é muito bom;

o Algarve é a opção de peixe (hambúrguer de atum, rodelas de tomate e cebolada à algarvia) e só pecou pelo facto do atum estar demasiado bem passado…

– e a opção vegetariana chama-se Alqueva (hambúrguer de grão, cogumelos, espinafres e cenoura, com agrião, tomate e cebola caramelizada), também com bons sabores, ainda que se desfaça um bocado quando começamos a comer.

Ok que os hambúrgueres podiam ser maiores, porque ficam um bocado perdidos no meio do pão e tudo o que levam em cima (aliás, tentem encontrá-los em algumas das fotos). Isto acontece tanto nos de carne como nos outros dois, e talvez por isso quase todos os pratos tenham voltado para trás com a parte de cima do pão ainda lá toda.

Muito boas são as batatas fritas para acompanhar os hambúrgueres, e os chips de batata doce são ainda melhores! E, para sobremesa, é indispensável provar o pão de ló de chocolate… porque é uma MARAVILHA!!! Com a textura certa, sabor decadente e ainda assim não demasiado doce!

No final, o preço segue a linha das restantes hamburguerias do género, mas como a comida é boa, saímos satisfeitos. O Hamburguês de Oeiras ainda está no início, por isso os atrasos e descoordenação no serviço podem ser resolvidos. A comida compensa isso, pelo menos por enquanto. Até porque numa zona que tem tantas alternativas, o Hamburguês tem mesmo de afinar estas questões para conseguir fazer com que quem lá vai uma vez almoçar, volte.

 

Preço Médio: 9€ pessoa (com refrigerante)
Informações & Contactos:
Rua Dr. José da Cunha, 24 A | 2780-187 Oeiras | 211 338 485

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.