O CANTINHO DAS GÁVEAS

Partilha!

Uma “tasca”… mas para turistas.

 

O problema de Lisboa estar a ficar uma cidade cada vez mais turística é que há cada vez mais tascas/restaurantes que antes eram genuínos e que agora começam a virar-se quase por completo para estrangeiros. E isso não no sentido bom, de mostrarem a gastronomia portuguesa a quem nos visita, mas no sentido mau, ou seja, o de oferecer um produto de qualidade inferior a preços inflaccionados.

O Bairro Alto sempre foi um sítio turístico, mas agora isso é levado ao extremo. Seja qual for o restaurante onde se entre, está sempre cheio de turistas, à procura de uma “experiência típica”. E aquilo que para nós – os locais – eram restaurantes para ir jantar boa comida antes de ir para os copos… agora são apenas “fachada”.

Já fui muito feliz no Cantinho das Gáveas, em tempos remotos. E isto tanto em jantares a dois ou em jantares de grupo, sempre com boa comida e muito vinho, antes de seguir no Bairro e nos copos. Porque para mim o Cantinho das Gáveas era um desses restaurantes (assim como outros no Bairro). Uma tasca, com aspecto de tasca, com serviço de tasca e comida de tasca. Com tudo o que de bom isso podia ter.

Mas as recentes visitas mostram que os tempos mudaram… Seja pelo aumento do turismo em Lisboa, ou seja porque simplesmente alguns restaurantes deixaram de se preocupar. Mas a triste verdade é que muitos destes restaurantes outrora típicos – as ditas tascas – no Bairro Alto deixaram de ser o que eram.

Hoje, aquilo que temos no Cantinho das Gáveas é um serviço que oscila entre o “very much” simpático se falares estrangeiro (ou pelo menos, mais atencioso), e um indiferente ou mesmo antipático quando falas português e apareces à procura de uma mesa depois da hora em que os turistas geralmente vão jantar.

E depois, ainda pior, uma qualidade na comida muito abaixo da média. Estamos no registo tasca, ninguém espera pratos gourmet, mas sempre me lembrei de ser bem servido e a comida ser bastante boa. Mas isso era antes…

Numa visita mais ou menos recente, o arroz de polvo (especialidade da casa) estava miseravelmente cozinhado e servido (polvo nem vê-lo), sem sabor nenhum, a coisa mais insípida do mundo; o bacalhau assado também sem qualquer sabor (e isso para mim é um absurdo, porque é quase impossível “estragar” um simples bacalhau no forno…); umas lulas grelhadas esponjosas; e as carnes grelhadas (neste caso, os secretos) sem qualquer tempero, e por mais que me digam que actualmente “o sal faz mal”, os secretos querem-se salgados.

Isto tudo em doses mais pequenas do que antes, e a preços ligeiramente mais altos. É a mudança dos tempos ou simplesmente a mudança de atitude face ao crescimento do turismo em Lisboa?

Infelizmente, o Cantinho das Gáveas não foi o único restaurante no centro de Lisboa que resolveu mudar a sua “atitude” com o aumento do turismo. Até percebo que, por uma questão de negócio, será mais rentável servir turistas que consomem bem do que malta de Lisboa que come pouco porque está a guardar dinheiro para ir para os copos depois.

Ok, para turistas isto até pode parecer típico. Mas para nós, que sabemos ao que sabe a nossa cozinha, é uma decepção muito grande…

 

Preço Médio: 18€ pessoa (prato, com vinho da casa)
Informações & Contactos:
Rua das Gáveas, 82/84 | 1200-000 Lisboa | 21 342 6460

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta